teto-radiante

O sistema de condicionamento ambiental por radiação em hospitais, conhecido como Teto Radiante, apresenta uma série de benefícios em relação ao modelo convencional nestes ambientes.

Confira as suas principais vantagens:

HIGIENE

Sistema convencional: quando mal projetados e sem a manutenção correta, podem propagar fungos e bactérias causadoras de doenças como pneumonia, tuberculose, pericardites e endocardite. O principal fator causador destes problemas é a bandeja de gotejamento, que abriga micro-organismos prejudiciais à saúde. As operações de higienização são demoradas e, com a necessidade de liberar rapidamente os leitos, acabam sendo feitas sem o cuidado necessário. Exige também maior recirculação de ar, o que provoca a maior exposição a micro-organismos.

Teto radiante: opera 100% com ar externo que, devidamente filtrado, 100% expurgado (com expurgo filtrado) não apresenta agentes biológicos nocivos à saúde encontrados no ar de recirculação, como ocorre no sistema convencional. As operações de higienização e assepsia se dão de maneiras simples, eficiente e rápida, já que o sistema não necessita de fancoils, dutos de retorno com filtros e drenos, dentre outros componentes.

CONFORTO

Sistema convencional: retira o calor de uma sala com ar frio e o recircula através de Air Handling Units. Com a necessidade de uma alta vazão de ar, aumenta-se também a velocidade dos dutos, acarretando jatos de ar e ruídos. Em ambientes críticos, como a ala de queimados, nos hospitais, um fluxo mais intenso de ar pode provocar ainda mais ardência na pele e piorar a situação clínica dos pacientes.

Teto radiante: oferece um novo método de resfriamento estático, com distribuição de temperatura homogênea. O calor sensível é absorvido pelo forro, usando radiação direta, separando a função de resfriamento da função de ventilação. Isso torna o ambiente mais agradável, sem jatos de ar e sem ruídos, aspectos fundamentais para o conforto de pacientes graves e em convalescência. Neste sistema o ar pode ser injetado no ambiente longe do paciente.

DESIGN FUNCIONAL

Sistemas convencionais: é comum se ter o retorno de ar pelo plenum do entreforro. Com o desligamento diário do sistema, a poeira, composta também por vírus em suspensão, é despejada em processo de decantação no forro e no ambiente. E é extremamente caro limpar a sujeira do entreforro.

Teto radiante: o sistema de insuflamento de ar condicionado é invisível e integrado ao forro. São utilizados apenas alguns pequenos difusores integrados ao forro. Além disso, o ar de retorno é canalizado por dutos, que permitem limpeza, evitando sujeira no entreforro. É possível qualquer dimensão de painel metálico, com dimensões padronizadas pelo mercado. Valoriza o empreendimento com um forro metálico visualmente limpo, sem necessidade dos arcaicos difusores de ar condicionado.

CONSUMO DE ENERGIA

Sistemas convencionais: precisam de três a quatro vezes mais vazão de ar que o teto radiante, implicando em maior número de máquinas.

Teto radiante: permite de 40% a 50% na parte de distribuição de frio de redução na carga elétrica instalada e menor consumo de energia na parte de distribuição de frio. Estudos comprovam que o ser humano percebe 1°C a menos em sistemas por radiação. Isto faz com que os usuários ajustem os sensores para 25°C, pois a sensação térmica é igual a 24°C. Como a vazão de ar é próxima da vazão de ar externo exigida pelas normas (ASHRAE 62.1 appendix E), não há oneração nos gastos com energia elétrica.

RELAÇÃO CUSTO X BENEFÍCIO

Com a menor vazão de ar necessária na solução de teto radiante, tem-se:

  • 40% a 50% de redução na carga elétrica instalada e menor consumo de energia na parte de distribuição de frio;
  • Menor quantidade de fancoils, permitindo que áreas de casas de máquinas sejam transformadas em áreas nobres;
  • Menores dutos de ar, utilizando menores espaços do entreforro para passagem de utilidades (importante em retrofits);
  • Mais pavimentos em um mesmo gabarito em altura;
  • Menor volume de concreto, ferro, caixilhos e vidros para a mesma quantidade de pavimentos;
  • Menor custo com filtragens especiais;
  • Menor custo com limpeza dos canais por onde circula o ar;
  • Menor custo de manutenção pois há menos equipamentos;
  • Simplificação nos trabalhos de retrofits.

Leia mais em www.planenrac.com.brwww.sec.com.br.